Neuroestimulador medular é um recurso de tratamento indicado em alguns dos casos de dor crônica que não tiveram boa resposta com os recursos de tratamento mais convencionais. Ele funciona da seguinte forma: um dispositivo envia pulsos elétricos para um eletrodo que é implantado na medula do paciente.

A neuroestimulação faz com que os sinais de dor sejam inibidos antes de chegar ao cérebro. No lugar disso, o paciente costuma ter uma sensação de formigamento na região que antes era dolorida. O mecanismo não emite ruído e não é perceptível através das roupas do paciente.

As principais indicações para a neuroestimulação medular são síndrome pós laminectomia, síndrome de dor complexa regional, dor do membro fantasma e dores neuropáticas. No mundo todo, cerca de 250 mil pacientes já foram implantadas com neuroestimulador medular para o tratamento de dores crônicas.

Inicialmente, o paciente recebe um trial, que funciona como uma fase de experiência. O gerador é colocado externamente no corpo e se liga ao eletrodo através de um pequeno cabo. Se o sistema trouxer alívio significativo da dor, posteriormente o gerador é implantado dentro do corpo do paciente.